Chenopodium ambrosioides L.

Anonymous, 1995, Chenopodiaceae (part Chenopodium), Flora de Cabo Verde 14, pp. 9-13 : 11-12

publication ID

https://doi.org/10.5281/zenodo.6280835

DOI

https://doi.org/10.5281/zenodo.6280835

persistent identifier

https://treatment.plazi.org/id/E8F769B7-F235-1022-86E7-0201EA67E62A

treatment provided by

Donat

scientific name

Chenopodium ambrosioides L.
status

 

3. Chenopodium ambrosioides L. ,

Sp. PL: 219 (1753). - A. Chevalier in Rev. Bot. Appi. Agric. Trop. 15: 1005 (1935). - A. Hansen & Sunding in Sommerfeltia 17: 86 (1993). Est. II.

Erva anual ou perene de curta duração até 180 cm de altura, erecta, muito ramificada, frequentemente com ramos prostrado-ascendentes desde a base, forte¬ mente aromática, verde, curtamente pubescente mas com glândulas amarelas ou ambarinas sésseis, particularmente numerosas na página inferior das folhas. Folhas curtamente pecioladas, as inferiores com limbo até 14,0 x 4,5 cm, lanceolado a linear-oblanceolado,grosseiramente dentado, as superiores progressivamente menores e tendendo a lineares e inteiras. Inflorescência uma grande panícula de pseudoglomérulos de flores mais ou menos densos, dispostos em pseudo-espigas nos ramos de última ordem; brácteas presentes na base dos pseudoglomérulos, pelo menos nos inferiores. Cálice com 3-5 segmentos nas flores femininas e 4-5 nas bissexuadas,glabros a pubescentes, glandulares, unidos em grau variável,não carenados, lisos. Estames 4-5. Fruto com pericarpo facilmente removível. Semen¬ tes em cada pseudo-glomérulo, umas verticais, outras horizontais, 0,6-0,8 mm em diâmetro, castanho-avermelhadas, brilhantes; testa com raras linhas sinuosas difi¬ cilmente observáveis.

Santo Antão: Chã de Igreja, fl. & fr. 03.IV. 1956, Barbosa 7103 (C1:CV;【」SC). São Vicente: Chã de MadeiraL il. & fr. 07.XI.I990, Matos 6710 ( CÍ-CV: LISC). [S5o NicoIau|. Boa vista: Fundo de Figueira, 11. 06. V. 1956, Barbosa 7386 (CKCV: LISC). Maio: Vila do Maio, il. & fr. 21 .XI. 1964, Malat o-Be Hz 次 Guerra 448 (LISC). Santiago: São Jorge dos Órgãos, ribeira de Sào Jorge, 11. 22.XI.1987, Matos 6322 (CHCV; LISC). Fogo: Chã das Caldeiras, il. 23.VII.1934. Chevalier 44861 a (P). Brava: Nova Sintra. 11. 02.IV. 1982, Barbosa 13994 (CFXV; LISC).

Dispersa pelas regiões tropicais, subtropicais c temperadas quentes dc todo o Mundo. Brva ruderai e nitròfila, frequente nos leitos mais ou menos húmidos das ribeiras, margens de levadas, culturas de regadio e outros solos húmidos, por vezes cultivada junto das habitações, em altitudes dc 100 a 770 in.

N.V.: CHÁ-DA-RIBEIRA (Santiago); PALHA-TEIXEIRA (Santo Anlào, Boavista, Maio e Brava)

Medicinal: o chá da planta é utilizado com muita frequência como venni fugo e antipirètico, em casos de constipações e gripes; também por vezes utilizado cm doenças do ligado.