Antiteuchus exiguus, Fernandes & Grazia, 2006

Fernandes, José Antônio Marin & Grazia, Jocélia, 2006, Revisão do gênero Antiteuchus Dallas (Heteroptera, Pentatomidae, Discocephalinae), Revista Brasileira de Entomologia 50 (2), pp. 165-231 : 173-174

publication ID

https://doi.org/ 10.1590/S0085-56262006000200004

persistent identifier

https://treatment.plazi.org/id/5B3B87A9-FFFC-FFE5-FC77-A5E951D904F6

treatment provided by

Carolina

scientific name

Antiteuchus exiguus
status

sp. nov.

Antiteuchus exiguus sp. nov.

( Figs. 19–26 View Figs , 302 View Fig )

Etimologia. Latim-exiguus = pequeno. Referência ao pequeno tamanho dos exemplares em comparação com as outras espécies do grupo.

Medidas (n=9): comprimentototal- 10,3-11,8; larguratotal- 6,7-7,2.

Segmento antenal Iamarelo com manchas negras e áreas castanhas. Segmento II negro com a face lateral externa recoberta por manchas castanhas e castanho-escuras. Segmento III negro. Segmento IV negro, com exceção de um anelestreito e amarelo na base. Segmento V negro, com exceção do 1/3 basal e ápice que são amarelos. Segmentos em ordem crescente de comprimento: I; II; III; IV e V subiguais.

Urotergito VII comum parde elevaçõesdivergentes laterais ao processo mediano. Processo mediano bem desenvolvido, partelivre curta, larga, fortementeconvexa transversalmente, retaedirigida póstero-ventralmente; ápiceexpandido emargem posterior inteira (fig. 19). Membrana não apresentando um par de áreas esclerotizadas junto à margem posterior de cada conexivo VII. Margem posterior do processo praticamente coincidindo com o final da membrana. Margem posterior do urosternito VII com um processo retangular (fig. 20).

Projeções do bordo dorsal, laterais ao segmento X, arredondadas e não projetadas em direção aos tubérculos deste (figs. 21, 23). Bordo ventral trapezoidal, alto, largo, côncavo, margem superior reta, planae mais larga que a extremidade do segmento X (fig. 22). Superfícieventraldo pigóforo, logo abaixo do bordo ventral, apresentando uma pequena área escavada longitudinal, mediana e recoberta por pêlos esparsos. Ângulo póstero-lateral do pigóforo quase 3 vezes mais longo que largo, emvista lateral. Ângulos curvados internamente, sendo as metades anteriores divergentes, e apresentando um tubérculo junto ao ápice; face interna plana; face externa plana com pontos rasos interligados por faixas castanho-escuras e apresentando muitos sulcos longitudinais; margem interna castanho-escura.

Cabeça do parâmero composta por 3 lobos visíveis (figs. 24-26). Dorsal inconspícuo; carena dorsalbaixa e evanescente na altura da base dos lobos laterais. Lobo lateral interno longo, estreito, levemente curvado, dirigido látero-dorsalmente ecom o ápice achatado, levemente alargado e curvado ventrolateralmente. Lobo lateralexterno pequeno, lingüiforme e reto. Loboventral pequeno e reduzidoa uma convexidade da parede ou papiliforme.

Segmento X (figs. 21, 23) sem áreas túmidas ventrais. Tubérculos desenvolvidos, auriculares, emvista posterior, e dirigidos dorso-posteriormente. Margens internas dos tubérculosprojetam-se obliquamente, em direção àlinha média longitudinal, dando forma triangular ao ápice do segmento X e fundindo-se à carena mediana da face posterior. Face posteriorconvexa e perpendicularao plano frontaldo pigóforo; carenas laterais pouco desenvolvidas, quase inconspícuas; crista mediana elevada e percorrendo toda face.

Holótipo macho: Brasil, Amazonas: Coari, Rio Urucu, Loc-18, 4°53’53’’S 65°11’58’’W, 19/II-1/III/1993, P. Bührnheim et. al. col., à luz mista de mercúrio ( INPA) GoogleMaps . Parátipos: Brasil, Amazonas: Juruá, Mineruazinho , 3°34’35’’S 66°59’15’’W, 13-25/I/1996, P. Bührnheim, N. O. Aguiar et. al. col., à luz mista de mercúrio, 1 fêmea ( INPA) GoogleMaps ; Coari, Rio Urucu, Loc-18, 4°53’53’’S 65°11’58’’W, 19/II-1/III/1993, P. Bührnheim et. al. col., à luz mista de mercúrio, 1 fêmea ( UFRG) GoogleMaps ; Coari, Rio Urucu, RUC-36, 4°55’53’’S 65°18’13’’W, 25/II-10/III/1995, P. Bührnheim et. al. col., à luz mista de mercúrio, 1 fêmea e 1 macho ( UFAM) GoogleMaps ; Coari, Rio Urucu, Angelim , 5°3’33’’S 65°14’48’’W, 23/XI-2/

XII/1992, P. Bührnheim e N. O. Aguiar col., à luz mista de mercúrio, 1 macho e 1 fêmea ( UFAM); Coari, Rio Urucu, Petrobrás RUC-29, 5-10/II/ 1992, P. Bührnheim, N. O. Aguiar e N. Fé col., 1 macho ( UFRG) e 1 macho ( MPEG) .

GoogleMaps

Distribuição: Brasil, Amazonas: Juruá, Coari.

Comentários: Os exemplares analisados pertenciam à coleção do UFAM, o holótipo eos parátipos foramdistribuídos com autorização da curadora. Esta espécie nova distingue-se das outras do grupo supinatus por ser a menor em tamanho; por apresentar um par de elevações laterais ao processo mediano do urotergito VII; pelos ângulos póstero-laterais do pigóforocurvados internamente; pelo parâmero com ápice do lobo lateral interno achatado, levemente alargado e curvado ventro-lateralmente.

INPA

Brazil, Amazonas, Manaus, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazoonia, Colecao Sistematica da Entomologia

UFRG

Brazil, Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Biologia

UFAM

UFAM

MPEG

Brazil, Para, Belem, Museu Paraense Emilio Goeldi

V

Royal British Columbia Museum - Herbarium

INPA

Instituto Nacional de Pesquisas da Amazonia

UFRG

Instituto de Biologia

MPEG

Museu Paraense Emilio Goeldi

Kingdom

Animalia

Phylum

Arthropoda

Class

Insecta

Order

Hemiptera

Family

Pentatomidae

Genus

Antiteuchus