Edessa aulacosterna Stål, 1872,

Ely e Silva, Eduardo J., Fernandes, José A. M. & Grazia, Jocélia, 2006, Caracterização do grupo Edessa rufomarginata e descrição de sete novas espécies (Heteroptera, Pentatomidae, Edessinae), Iheringia, Sér. Zool. 96 (3), pp. 345-362: 348-349

publication ID

http://doi.org/ 10.1590/S0073-47212006000300012

persistent identifier

http://treatment.plazi.org/id/03E687C2-4A20-FF83-FCA8-603CFD9C0733

treatment provided by

Valdenar

scientific name

Edessa aulacosterna Stål, 1872
status

 

Edessa aulacosterna Stål, 1872 

( Figs. 6View Figs, 18View Figs, 44View Figs, 54View Figs)

Edessa aulacosterna STÅL, 1872:56  ; LETHIERRY & SEVERIN, 1893:188; KIRKALDY, 1909:154.

Diagnose. Rostro ultrapassando a bifurcação anterior do processo do metasterno, atingindo as coxas posteriores; margem costal do cório com pontuação grosseira e clara. Tricobótrios externos à linha dos espiráculos. Pigóforo com 1+1 escavações pouco profundas na paredeventral da taça genital, apresentando 1+1 elevações perpendiculares ao bordo dorsal no interior das escavações; processos da taça genital quadrangulares, castanho-escuros e escavados. Décimo segmento com um par de sulcos recobertos por pêlos e a face posterior com sulco longitudinal. Gonocoxitos 8 com a margem posterior irregular e pequena projeção mamiliforme; gonapófises 9 visíveis; gonocoxitos 9 com carena.

Descrição. Comprimento 17,8-20,2; largura 9,5-11,2, corpo levemente ovalado ( Fig. 6View Figs). Coloração geral verdeclara. Jugas mais longas que o clípeo, arredondadas e planas no ápice, com pequenos sulcos transversais, sem pontuação. Búculas paralelas. Primeiro antenômero menor que o segundo, segundo e terceiro subiguais, quarto maior que o terceiro e subigual ao quinto. Rostro ultrapassando a bifurcação anterior do processo do metasterno, atingindo as coxas posteriores. Primeiro segmento do rostro mais longo que as búculas. Segundo segmento mais longo que o terceiro e quarto reunidos. Pronoto declivente, com os ângulos ântero-laterais armados com pequeno dente. Margens ântero-laterais retas, íntegras e levemente emarginadas. Cicatrizes do pronoto subcalosas e não-pontuadas. Escutelo brilhante, com ápice levemente acuminado e pontuação mais fina que o pronoto. Cório fosco, com pontuação mais fina e densa que o resto do corpo e veias sem diferença de coloração; margem costal do cório com pontuação grosseira e clara. Membrana do hemiélitro castanha, brilhante. Mesosterno pontuado, com carena mediana baixa que avança até as coxas anteriores. Processo metasternal mais longo que largo, achatado, sulcado longitudinalmente e glabro; bifurcação anterior do processo metasternal divergente, com os ápices evanescentes, atingindo o terço mediano do mesosterno, acomodando parcialmente o segundo segmento do rostro e sendo ultrapassada pelo terceiro e quarto segmentos. Área evaporatória rugosa, fosca e com a mesma cor da face ventral; peritrema ostiolar atingindo 4/5 da largura da metapleura. Abdome com conexivo da mesma cor da face dorsal e pontuação fina, densa. Ângulos pósterolaterais do conexivo e posteriores do sétimo segmento pouco desenvolvidos e agudos. Face dorsal do abdome castanho-clara; superfícieventral com pontuação fina. Tricobótrios externos à linha dos espiráculos.

Genitália do macho ( Fig. 18View Figs). Pigóforo retangular em vista dorsal; abertura dorso-posterior e ângulos póstero-laterais arredondados; superfície ventral com pontuações e sulcos variáveis ( Fig. 54View Figs); bordo ventral com recorte mediano em “u’’ aberto. Pigóforo com 1+1 escavações pouco profundas na parede ventral da taça genital. Interior das escavações com 1+1 elevações perpendiculares ao bordo dorsal. Parâmeros com cabeça e pé geniculados, sendo a primeira voltada para a região anterior, face ântero-lateral escura, com textura diferenciadae direcionada para o processo dataça genital. Processos da taça genital quadrangulares, castanhoescuros, escavados e situados junto ao bordo dorsal do pigóforo. Décimo segmento cilíndrico, com um par de sulcos recobertos por pêlos; face posterior declivente, com um sulco longitudinal.

Genitália da fêmea ( Fig. 44View Figs). Gonocoxitos 8 pontuados, situados no mesmo plano que as demais placas genitais, com o bordo posterior irregular, dotados de uma pequena projeção mamiliforme; bordos suturais curtos, deixando visíveis as gonapófises 9. Gonocoxitos 9 planos, carenados. Laterotergitos 8 com a extremidade pouco afilada, com as projeções mais longas do que os laterotergitos 9. Laterotergitos 9 com projeção afilada, pouco pronunciada, ultrapassando levemente o bordo posterior da banda que une dorsalmente os laterotergitos 8.

Distribuição. Brasil (Goiás, Mato Grosso e Minas Gerais).

Material examinado. BRASIL (“ Brasília ”), holótipo ( NHRM); ( ZMHB)  ; Goiás: Curumbá de Goiás ,, 04.II.1962, J. & B. Bechyné col. ( MPEG)  ; Mato Grosso: Chapada [ dos Guimarães ], 15°26’S, 55°45’W ,, 1882-1884, H. Smith col. ( CMNH)GoogleMaps  ; Minas Gerais: Tiradentes ( Serra de São José ),, 25.X.1989, J. Becker col. ( RMNH)  .

NHRM

NHRM

ZMHB

Germany, Berlin, Museum fuer Naturkunde der Humboldt-Universitaet

MPEG

Brazil, Para, Belem, Museu Paraense Emilio Goeldi

CMNH

USA, Pennsylvania, Pittsburgh, Carnegie Museum of Natural History

RMNH

Netherlands, Leiden, Nationaal Natuurhistorische Museum ("Naturalis") [formerly Rijksmuseum van Natuurlijke Historie]

NHRM

Naturhistoriska Rijkmuseet

MPEG

Museu Paraense Emilio Goeldi

CMNH

The Cleveland Museum of Natural History

RMNH

National Museum of Natural History, Naturalis

Kingdom

Animalia

Phylum

Arthropoda

Class

Insecta

Order

Hemiptera

Family

Pentatomidae

Genus

Edessa

Loc

Edessa aulacosterna Stål, 1872

Ely e Silva, Eduardo J., Fernandes, José A. M. & Grazia, Jocélia 2006
2006
Loc

Edessa aulacosterna STÅL, 1872:56

Edessa aulacosterna STÅL, 1872:56
LETHIERRY & SEVERIN, 1893:188
KIRKALDY, 1909:154